Mensagens

O SANTUÁRIO DO LAR


Texto Base: “E me farão um santuário, para que eu possa habitar no meio deles” (Êxodo 25:8).


INTRODUÇÃO

Quando você pensa na palavra “santuário”, que imagens vêm à sua mente? A palavra santuário geralmente nos faz pensar em coisas santas, sagradas. De fato, ao consultar essa palavra em diferentes dicionários bíblicos, encontramos definições como:

1. O lugar mais sagrado do templo judaico onde era mantida a arca da aliança.

2. Igreja importante pelas relíquias que contém, pela afluência de devotos ou por sinais visíveis de graças aí obtidas. 3. Parte do templo onde se realiza a missa ou o culto.

4. Lugar vedado ao público onde se guardam ou conservam objetos dignos de veneração.

5. Lugar digno de respeito.

Essas definições nos falam de um lugar separado para um propósito santo, de algum tipo de culto, de santidade a objetos sagrados, de respeito e adoração. Quando pensamos em nosso lar, as primeiras imagens que podem surgir em nossa mente talvez não combinem com as definições que acabamos de ler. Talvez nos lembremos da correria do dia a dia, das muitas tarefas que precisamos realizar e das dificuldades financeiras ou emocionais que passamos em família. Neste ano, o tema dos cultos das Quartas de Poder é: “O Santuário do Lar”. Uma vez por mês, ao nos reunirmos aqui, refletiremos sobre diferentes aspectos do lar, da vida familiar e de como o lar pode se tornar um santuário, um lugar onde Deus é adorado, um lugar digno de respeito, um lugar onde a graça de Deus é recebida e onde Sua presença é sentida pelos membros da família. Nos conselhos do Espírito de Profecia, lemos: “Vosso lar deve ser um bendito santuário onde Deus possa entrar, e onde Seus santos anjos vos possam ajudar” (Review and Herald, 5 de agosto de 1890). Como podemos então transformar nosso lar em um verdadeiro santuário onde Deus terá prazer em habitar?

Resultado de imagem para o santuario do lar familia em oração

I – O LAR E SUAS ASSOCIAÇÕES

O núcleo da sociedade é a família, composta, a princípio, por esposo e esposa, e depois ampliada com a chegada dos filhos. Um grupo de famílias que se reúne para adorar a Deus forma a família maior, a igreja. Consequentemente, a igreja foi colocada no mundo para ser uma influência para aqueles que ainda não conhecem a Deus. Cada um desses relacionamentos é importante para a formação do seguinte, e todos unidos se tornam uma poderosa força influenciadora para o bem. Quando o serviço de amor é a base de todas as ações, a família se torna um centro a partir de onde toda a sociedade ao redor será abençoada. Essa dinâmica existente nas diversas camadas de relacionamento da família e a influência que uma exerce sobre a outra podem ser ilustradas pelos círculos que são formados quando jogamos uma pedra na água. Assim que a pedra cai na superfície da água, um pequeno círculo se forma, e em seguida outro maior, e outro, e logo círculos mais amplos são formados ao redor do local onde a pedra caiu.

No livro O Lar Adventista, p. 177, lemos: “O círculo do lar deve ser considerado como um sagrado lugar, símbolo do Céu, espelho em que nos refletir a nós mesmos. Podemos ter amigos e associações, mas na vida do lar eles não devem interferir”. Vamos analisar rapidamente cada uma dessas camadas ou círculos da vida familiar:

1. O casal: compõe o círculo sagrado mais íntimo do lar. A saúde espiritual da família depende do nível de intimidade do casal, um com o outro, e ambos com Deus. Individualmente nós precisamos ter um relacionamento sólido com Deus para que o relacionamento um com o outro seja forte. Como diz a Bíblia, nós somos o “templo ou santuário de Deus” (1 Coríntios 6:19), e Deus deseja habitar em nós.

2. A família imediata: é composta pelos pais e seus filhos, em primeiro lugar; mas seus relacionamentos podem às vezes incluir alguns familiares mais chegados como os avós que, por vezes, vivem com a família. Esse círculo da família imediata deve ser um refúgio para seus membros. Como família, precisamos desenvolver um relacionamento sólido e prover um ambiente de confiança principalmente para que nossos filhos se sintam seguros nele.

3. A família mais ampla e a família da igreja: esse grupo de pessoas forma um círculo mais externo dos relacionamentos da família. Familiares que não convivem no dia a dia com a família como tios e primos são unidos à família por sangue, mas também de um modo geral influenciam e são fortemente influenciados por ela. Também podemos incluir nesse círculo os irmãos de fé que, por vezes, têm maior participação na vida da família do que os próprios familiares de sangue, por estarem mais próximos e ajudarem a família a se fortalecer emocional e espiritualmente.

  1. Relacionamentos mais distantes: a família não vive isolada do mundo ao seu redor, e, quer queira quer não, seus vizinhos e conhecidos podem ser fortemente influenciados por ela. Na verdade, até mesmo pessoas totalmente desconhecidas que interagem com a família ocasional e superficialmente são influenciados por suas atitudes e comportamentos. Todos esses níveis de relacionamento são importantes na vida da família, e a família precisa aprender a respeitar os limites entre cada um deles, bem como, estar consciente de seu poder de influência sobre eles.

  2. II – O LAR E SUA INFLUÊNCIA Uma das maneiras mais poderosas de a família influenciar seus círculos de relacionamento é através do serviço abnegado. Jesus foi nosso maior exemplo de líder servo. (Ler João 13:12-17.)
  3. Jesus havia demonstrado ao mundo Seu poder por meio de inúmeros milagres, mas, mesmo nesses milagres, Ele estava servindo, pois nada fazia para Seu benefício próprio. Agora, durante a última ceia, na qual serviu amorosamente aos discípulos, Ele os convidou a seguir Seu exemplo, sendo servos uns dos outros. Como podemos aplicar esse exemplo de servir uns aos outros no lar? Esposo e esposa servindo um ao outro, e ambos servindo aos filhos. Irmãos servindo uns aos outros, e todos servindo aos pais. Fazendo isso, todos estarão refletindo o exemplo de Cristo e servindo a Deus no lar. “Desde bem cedo deve-se ministrar à criança a lição de prestatividade. Logo que suas forças e a faculdade de raciocínio estejam suficientemente desenvolvidas devem-se-lhe confiar deveres a desempenhar em casa. Deve ser estimulada a tentar auxiliar o pai e a mãe, estimulada a ser abnegada e a dominar-se a si mesma, a colocar a felicidade e o bem-estar dos outros acima dos seus, a estar atenta às oportunidades de animar e ajudar os irmãos e os companheiros, e a mostrar bondade para com os velhos, os doentes e os infelizes. Quanto mais profundamente o espírito de verdadeiro serviço penetrar o lar, tanto mais profundamente ele se desenvolverá na vida das crianças. Elas encontrarão prazer em servir e sacrificar-se pelo bem dos outros” (Orientação da Criança, p. 36).
  4. O serviço no lar deve ir muito mais além do que fazer tarefas domésticas pré-estabelecidas. Servir em amor, como Jesus fazia, significa estar sempre pronto a fazer algo para ajudar alguém. Significa buscar oportunidades para fazer alguém mais feliz. É o pai ou esposo que, mesmo cansado após o trabalho, lava a louça do jantar para que a esposa tenha um descanso e, assim, todos possam passar mais tempo juntos. É o filho que corre para ajudar a descarregar o carro quando os pais chegam do mercado, mesmo que ninguém peça sua ajuda. É a esposa que planeja um jantar especial para a família, mesmo quando não há nada a ser comemorado. O exemplo de serviço que Jesus nos deixou inclui muito mais do que ações; inclui sentimentos e atitudes. Jesus não apenas servia, mas servia com bondade, paciência e amor.

  5. III – O TESTEMUNHO DO LAR Hoje em dia, nós nos servimos de muitos meios evangelísticos para espalhar a verdade pelo mundo. Através da mídia e tecnologia de última geração, temos buscado testemunhar ao maior número de pessoas possíveis, mas existe no lar, numa família piedosa, um poder de testemunho que vai além de todas as tecnologias que podemos usar.

    Lemos que: “A maior prova do poder do cristianismo, que se pode apresentar ao mundo, é a de uma família bem ordenada, bem disciplinada. Isso recomendará a verdade como nenhuma outra coisa o poderá fazer, pois é um testemunho vivo de seu efetivo poder sobre o coração” (O Lar Adventista, p. 32). No entanto, o contrário também é verdade: “A influência de uma família mal dirigida é dilatada, e desastrosa a toda a sociedade. Acumula uma onda de males que afeta famílias, comunidades e governos” (O Lar Adventista, p. 33). Por isso, precisamos realmente parar e avaliar como temos vivido como família e que tipo de influência temos sido aos que estão ao nosso redor. Que tipo de testemunho nosso lar está sendo no mundo? Será que estamos recomendando a verdade ou sendo uma influência desastrosa? Reflita nas seguintes perguntas e faça o propósito hoje de transformar seu lar em um santuário, onde Deus habita e onde todos os que ali entram sintam o desejo de buscar a Deus.
  6. ƒ O serviço abnegado ao próximo faz parte da vida de sua família?
  7. ƒ Existe o respeito por essas diferentes áreas em sua vida familiar?
  8. ƒ O relacionamento entre o casal e com Deus é sólido, sem interferências externas?
  9. ƒ Os filhos encontram nos pais segurança e se sentem à vontade para expressar seus sentimentos?
  10. ƒ O relacionamento de sua família com a igreja é saudável e promove o crescimento para ambos?
  11. ƒ Sua família tem sido um testemunho para o mundo? Tem levado pessoas a se admirarem e temerem ao Deus a quem vocês servem?

    CONCLUSÃO
  12. Se você sente que precisa melhorar em algumas dessas áreas, não fique desanimado, mas entregue sua dificuldade para Deus. Coloque seu lar hoje nas mãos de Deus e peça para Ele abençoá-los. Nesta semana, sente-se com sua família e façam o propósito de transformar seu lar em um santuário onde Deus possa habitar, como diz o texto base de hoje (Êxodo 25:8).